17 de fevereiro de 2017

Em contato com a natureza: Construção alternativa, preservação e ecoturismo atraem visitantes para o oeste de Santa Catarina

A região oeste de Santa Catarina se tornou um ponto para visitantes e turistas que buscam se integrar à natureza e conhecer ações alternativas
Matéria colaborativa escrita por Daniela Prado, jornalista e Bibiana Rabaioli Prestes, advogada
Região oeste de Santa Catarina: você já ouviu falar? Não! Pois então você não sabe o que está perdendo! Esta região é essencialmente agrícola e por muitos anos não figurou como ponto turístico. Atualmente, no entanto, está se destacando pelas diversas opções para visitação e vivência, todas em contato com a natureza.
Embarque conosco nesta aventura e conheça um pouco do que esta região tem para te oferecer!
A casa viva no município de Guaraciaba
No interior do Município de Guaraciaba, na Linha Indiozinho, residem Ricardo Scalco e Letícia Sanzovo, ambos permacultores, em uma casa alternativa, construída a partir de técnicas de bioconstrução e permacultura
Casa viva bioconstruída tem atraído diversos visitantes para a região. Foto de Daniel Augusto Michel



O primeiro contato com a propriedade de Ricardo e Letícia traz à mente a sensação grata de que é possível passar por este mundo vivendo em harmonia com a natureza. A casa de bioconstrução, que se tornou ponto de visitação para curiosos e interessados na permacultura e levou três anos para ser construída, da à propriedade a cara dos permacultores que estiveram presentes e auxiliaram em todas as etapas da construção.
E imagine só: a principal fonte de sustentação da casa viva é terra, argila, palha, madeiras, pedras e materiais recicláveis como garrafas de vidro. Da pra acreditar? Pois é, vale a visita!
Ricardo e Letícia, de forma autodidata e com a ajuda de outros permacultores por meio de vivências em institutos de permacultura, estiveram presentes – e realizaram – desde o planejamento até a finalização da obra alternativa, que segundo eles nunca ocorrerá de fato, uma vez que a casa é viva e estará em contínuo aperfeiçoamento.
A edificação possui diversas técnicas e espaços alternativos como o telhado verde, que substitui os telhados convencionais por terra e grama; os tanques de evapotranspiração, que possibilitam a minimização dos impactos ocasionados pelos dejetos produzidos na casa. Além disso, a casa possui várias entradas de luz e ar, o que diminui o consumo de energia.
Além dos materiais que possibilitaram a edificação da casa e foram escolhidos considerando-se o menor potencial de impacto e agressividade à natureza e ao entorno da propriedade, praticamente todos os móveis também foram ou criados pelos permacultores ou são móveis inutilizados por outras pessoas, que foram resgatados, reaproveitados, reciclados e personalizados pelos próprios permacultores. Ainda, a propriedade conta com recursos naturais, como um riacho, uma cachoeira e uma agrofloresta plantada pelo casal a poucos metros da casa.
Tudo o que já foi realizado pelo casal faz parte de um projeto maior de permacultura, que visa à produção abundante de alimentos orgânicos. A educação também é ponto chave do projeto, que pretende levar estes conhecimentos aos agricultores familiares, jovens e a quem estiver interessado pois, a intenção dos permacultores é estruturar cursos para difundir este modo de qualidade vida. Estas ações buscam uma mudança em nível de região, fomentando a permacultura como opção alternativa de vida saudável.
Foto de Daniel Augusto Michel


Visitação na propriedade de Ricardo e Letícia
Os permacultores estão de portas abertas para receber visitas agendadas de todos os públicos, basta entrar em contato pelo endereço www.facebook/bioconstrucao ou pelo whatsapp 49 988081599 (Ricardo).
Ainda no oeste de Santa Catarina, uma Rota que apresenta as belezas naturais da região
Cerca de 40 quilômetros da cidade na qual os permacultores Ricardo e Letícia construíram sua casa, na cidade de Anchieta, no mesmo dia o grupo participou de uma Rota de Turismo Ecológico promovida pela Ar Livre Ecoturismo, a Rota dos Cânions, que visa demonstrar as belezas da região que é composta por planaltos com superfície elevada.
Com saída na sede da Ar Livre Ecoturismo, a Rota dos Cânions possui cinco pontos de visitação e é guiada por uma Kombi personalizada pelo organizador Anderson Cavasin que também conta com a ajuda de amigos e familiares para a concretização deste sonho antigo.

Foto de Daniel Augusto Michel

A Rota dos Cânions acontece desde o ano de 2010 na região movimenta a economia do município e traz novas possibilidades aos agricultores, uma vez que todos os pontos de visitação estão localizados na zona rural do Município. Para os próximos anos a ideia é a realização de uma Rota que envolva a gastronomia e a produção dos agricultores do município.

Os pontos de visitação
Dada a largada, a primeira parada foi a Gruta Cordilheira, uma queda d’água composta por cavernas com estalactites em formação, onde pode-se respirar um ar fresco enquanto o guia Anderson conta a história do lugar. Depois dali, mais um pedaço de chão até o Mirante dos Cânions, um lugar com ampla vista panorâmica, de onde é possível observar-se os planaltos da região e cidades próximas.
Foto de Daniel Augusto Michel
A poucos metros do Mirante dos Cânions, existe um Jabuticabal Nativo, com mais de cem árvores que foram provavelmente plantadas por indígenas há cerca de 200 anos, como relata Cavasin. Os agricultores da região aproveitam as jabuticabas para fazer doces, geleias, compotas e licores, que são comercializados nas feiras da cidade.
Foto de Daniel Augusto Michel
Andando por uma estrada com paisagens naturais exuberantes, chega-se ao quarto ponto turístico, a Cachoeira do Zamin, uma grande queda d’água onde se pode tomar banho. E, para finalizar a Rota, a chamada “luz de ouro” do pôr do sol brinda os participantes, a qual deu nome ao último ponto turístico da Rota, o Morro do Sol. No Morro do Sol, pilotos da Ar Livre Ecoturismo e da região também praticam o voo de parapente.
Voo de parapente no Morro do Sol. Foto de Daniel Augusto Michel

Foto de Daniel Augusto Michel
Foto de Daniel Augusto Michel
Contato da Ar Livre Ecoturismo – Rota dos Cânions:
São organizadas rotas periodicamente pela página do facebook: www.facebook.com/arlivreanchieta
Parceria entre os permacultores e a Ar Livre Ecoturismo
No próximo ano a equipe da Ar Livre Ecoturismo e os permacultores Ricardo e Letícia pretendem realizar PDCs (Cursos de Design em Permacultura) em parceria a fim de propagar as técnicas alternativas utilizadas pelo casal na sua propriedade.
#RotadosCânions #Bioconstrução