31 de dezembro de 2014

Sucesso

“Muitas vezes agimos instantaneamente diante de uma situação. Mas aqueles que são bem sucedidos analisam a situação antes de agir. Tais pessoas anteveem o resultado de suas ações e por isso procuram fazer a coisa certa evitando contratempos futuros. Elas dão o melhor de si a cada escolha. Eu consigo ser claro em meu pensamento quando dou tempo para mim e penso antes de realizar qualquer ação, As consequências da ação que desejo tomar ficam claras na minha mente e as decisões que tomo para superar a situação dão certo. Assim, o sucesso vem de forma fácil e segura.”
Brahma Kumaris

11 de dezembro de 2014

Tolerância

Quando olhamos nos olhos das pessoas e contemplamos sua raridade, a tolerância se torna fácil. Percebemos que estamos diante de seres que possuem dentro de si um complexo mosaico de experiências. Tolerância é uma expressão do nosso respeito por qualidade, por manter a vida excelente. Quando não há tolerância as coisas se tornam comuns. Ficamos à margem daquilo que não aceitamos e nossa face se torna severa. Tolerância é dizer sim ao jogo e apreciá-lo.’’
Brahma Kumaris

9 de dezembro de 2014

Paz na mente

“Paz na mente não é ausência de pensamentos. A mente experimenta paz quando há um fluxo rítmico e gentil de pensamentos. Porém, sempre que pensamos excessivamente sobre algo, a mente fica cansada e sem paz. O que não a deixa ser pacífica são as ações sem fim e os comandos constantes que damos a ela. Durante o dia - ao invés de estar sempre correndo, teclando e consumindo informações - faça pausas para sentar, respirar e observar o seu estado interior. Isso acalma a mente e permite que ela chegue à paz interior. A mente é naturalmente pacífica.”
BK, Padmaprya

3 de dezembro de 2014


1 de dezembro de 2014

Vinho - Trechos de livro - anotações

"A vinha e o vinho, ricos em simbologia, são sem dúvida mais do que nunca os laços, a cada ano revivificados pela nova colheita, que nos une a nosso passado, mas que nos projetam em direção ao futuro, na esperança do amadurecimento da próxima vindima."

Vinho - português
Vin - francês
Vino - espanhol, italiano, russo
Oinos - grego
Wein - alemão
Wine - inglês
Vinum - latim

"O vinho é muito mais que 'vinho': é um patrimônio da humanidade."

Mitologia egípcia: Rá, deus do Sol, criou o vinho.

Deusa Hathor = Afrodite

Mitologia grega: Dionísio é o deus do vinho. Stafilos, um pastor, criou o vinho.

Mitologia romana:  Saturno, deus das sementes e da vinha.

Mitologia gaulesa: Sucellus, divindade céltica da floresta.

"Em uma era fabulosa em que os deuses viviam sobre a terra o próprio vinho era considerado um mito vivo."

Sânscrito - vena (amado).

Foram os egípcios, sobretudo consumidores de cerveja, que nos levaram aos relatos mais minuciosos da vida social da vinha e do vinho.

2500 anos a.C, os egípcios cultivaram a vinha e transportavam as uvas para serem espremidas.

Jarros - rotulação (denominação de origem controlada).:
- variedade da vinha;
- designação do solo;
-  ano de colheita do vinho;
- nome do proprietário;
- nome do mestre da cave.

"Pouco depois da Pax Romana a viticultura Gaulesa disporá de duas cepas resistentes ao frio: a Allobrogica, na Borgonha e no vale Rhône, "cuja uva amadurece com a geada", escreve Plínio, e que seria ancestral da atual Pinot; e na Aquitânia, a biturica [...]."

"Pagão ou cristão, o vinho é o alfa e oômega das civilizações."

"O vinho é a bebida mística por excelência."


20 de novembro de 2014

Aprender

"O objetivo do surfista não é chegar na praia mas desfrutar a onda. Estar ali de prontidão, atento ao humor do mar. Seja a onda violenta, desafiadora e imprevisível. Seja a onda perfeita em sua forma, seu tamanho e força. Aprender a enfrentar o risco de cair para aprender a vencer. Quando a mente expressa tal agilidade em responder à face dura e suave da vida ela percebe que tudo acontece parafazê-la crescer. Ator-herói é aquele que valoriza mais o andar do que o chegar.’’
Brahma Kumaris
"Veja como o dia fica fácil quando você transita livremente sem ser afetado pelas atitudes negativas dos outros. Quando você aprende a ficar estável, você não apenas poupa energia mas também percebe sua força mental aumentar. Quando há força na mente e estabilidade há maturidade e caráter. A força do caráter depende da sua habilidade de ficar inabalável diante das situações adversas."
Brahma Kumaris Brasil

19 de novembro de 2014

Destemor

“Destemor vem quando há o poder da verdade dentro de nós. Quando somos constantemente verdadeiros não temos nada a temer. É o poder da verdade que nos faz manter a fé e a coragem e nos capacita a enfrentar os desafios no dia a dia. Quando nos certificamos de que nossas ações são baseadas na verdade, mesmo que as coisas deem erradas, ainda assim, permaneceremos destemidos. Para isso é preciso sempre relembrar que temos o poder da verdade conosco e que seremos vitoriosos, sejam quais forem os desafios que surjam no caminho.”
Brahma Kumaris

12 de novembro de 2014

"É meu direito descansar. O descanso é meu investimento, meu meio de juntar as forças e ver a vida claramente. Descanso é recolher-me da interação com as outras pessoas e até da interação comigo mesmo, pelo menos desse eu que é tão rápido para reagir, julgar, assumir. No silêncio, vou para um lugar mais espaçoso, dentro de mim. Aqui é o local de aceitação e quietude. Aqui restauro meu senso de perspectiva, curo-me da intensidade, estiro-me e relaxo. Aqui os pedaços se juntam. Dias, semanas, vidas, tornam-se um todo. Simplesmente sou." (Anthea Church)

28 de outubro de 2014

Fotógrafo registra quem está por trás dos produtos Made in China


A China cada dia mais nos possibilita ter acesso a produtos de preço baixíssimo mas, para que isso aconteça, alguém tem que ser explorado. O fotógrafo Michael Wolf (aquele mesmo que fez uma série sobre o sufocante metro de Tóquio, mostrada aqui no Hypeness) visitou algumas fábricas de brinquedos, bonecos e outros tipos de produtos com o selo Made in China e registrou imagens de pessoas e dos processos que estão por trás dessa indústria. Não, aquele boneco do Mickey na sua prateleira não foi feito por complexas máquinas chinesas e sim pelas mãos de operários mal pagos.


FONTE: Hypeness

27 de outubro de 2014

"Pra voltar a ter fé na humanidade, to precisando conhecer alguém que valorize mesmo as pequenas coisas da vida, que saiba demonstrar carinho, tenha sensibilidade, que não gaste tanto dinheiro em roupas de marcas e coisinhas da moda, que goste de andar de pés descalços, goste da natureza e preze por ela, goste de desenho, livros e de animais... escasso? é, talvez..."

Luma Chielle Roani

24 de outubro de 2014

Bem-estar

“Bem-estar começa quando passamos a cuidar dos recursos internos: intelecto e mente. O intelecto é a sua inteligência, sua habilidade para tomar decisões, se concentrar e ver as coisas claramente. A mente controla os pensamentos e as emoções. A primeira coisa a fazer é ver o que a mente e o intelecto querem. Entender como eles operam ajuda a controlá-los. Assim você também passa a entender o que você quer deles. As mudanças começam aqui.”
Brahma Kumaris

10 de outubro de 2014

EPIDEMIA DE EBOLA




O Ebola ameaça a todos nós. Precisamos urgentemente de voluntários para conter o vírus.Se apenas 120 médicos da nossa comunidade se tornarem voluntários, duplicaremos o número de médicos na Serra Leoa. Outras habilidades – na área de saúde, saneamento, logística – também são de grande ajuda. Este é um chamado para servir à humanidade da maneira mais profunda possível, assumindo um risco real pelo bem de outros seres humanos.Cliquem para saber mais e mostrar gratidão aos membros da comunidade que já tomaram essa decisão e se tornaram voluntários:


mobilize-se
Há três semanas, centenas de milhares de nós fomos às ruas para lutar contra as mudanças climáticas. Nesta semana, vamos sair do mundo virtual para dar um fim ao Ebola. 

O vírus do Ebola está saindo do controle. Os casos na África Ocidental estão dobrando a cada duas ou três semanas e a última pesquisa estimou que 1,4 milhão de pessoas podem estar infectadas até meados de janeiro do ano que vem. Neste ritmo, esse monstro ameaçará o mundo inteiro em breve.

Os surtos de Ebola que aconteceram antes foram contidos diversas vezes e infectaram um número muito pequeno de pessoas. Mas a escala da atual epidemia tomou conta dos frágeis sistemas de saúde da região. A Libéria, por exemplo, tem menos de 1 médico para cada 100 mil pessoas. Vários países estão fornecendo recursos para combater o vírus, mas simplesmente não há médicos suficientes para acabar com a epidemia.

É aí que nós entramos. Neste momento, 39 milhões de pessoas estão recebendo este mesmo email. Em uma pesquisa da Avaaz, 6% dos membros da nossa comunidade afirmaram ser profissionais da área da saúde – médicos ou enfermeiros. São quase 2 milhões de pessoas! Se apenas 120 médicos da nossa lista se tornarem voluntários, duplicaremos o número de médicos na Serra Leoa hoje.

Outros voluntários também podem ajudar: técnicos de laboratório, operadores de logística, trabalhadores especializados no tratamento de água e saneamento e da área de transporte. Tornar-se voluntário implica muito mais do que tempo: implica correr o risco. O vírus do Ebola é altamente contagioso. Vários profissionais de saúde já morreram lutando contra ele. Mas se há um lugar onde podemos achar candidatos dispostos a correr esse risco pelo bem de outros seres humanos é na nossa comunidade. Eu, e outros colaboradores da Avaaz, estamos prontos para correr esse risco com vocês, viajando para a linha de frente da crise. 

Coisas incríveis surgem quando ouvimos a voz que há dentro de nós. Aos profissionais da área de saúde da nossa comunidade e àqueles que possuem outras habilidades que podem ajudar, eu faço um pedido: parem por um instante, escutem a voz sincera e confiante que há dentro de vocês, e sigam o que ela lhes disser. 

Cliquem no link abaixo para se tornar voluntários, ler as mensagens de outros voluntários contando porque eles tomaram essa decisão ou deixar uma mensagem de encorajamento e gratidão para eles:  


https://secure.avaaz.org/po/ebola_volunteers_thank_you_3/?bqRaNfb&v=47394

Esse comprometimento é apenas o primeiro passo. Vocês precisarão ser fluentes em inglês ou francês. Os candidatos precisarão fornecer e receber muitas informações para garantir que são aptos para o trabalho. Provavelmente vocês terão que discutir sobre essa decisão com seus parentes e amigos antes, mas, é claro, será possível desistir do processo a qualquer momento. A Avaaz está trabalhando com as organizações Partners in Health, Save the Children e a International Medical Corps, três das principais organizações que estão combatendo essa doença fatal. Também estamos conversando com os governos da Libéria, Serra Leoa, Guiné, e a Organização Mundial da Saúde (OMS). 

O risco é real, mas também há maneiras de contê-lo. O Ebola é um vírus transmitido por meio do contato humano; por isso, se tomarmos muito cuidado com o contato físico com outras pessoas, o risco de contrair o Ebola pode ser minimizado. Até agora, 94 profissionais de saúde já morreram de Ebola na Libéria, mas a maioria deles eram profissionais de saúde nacionais que tristemente estão menos bem equipados do que os voluntários internacionais. Com tratamento, as chances de sobreviver são maiores que 50%.

Muitos de nós, policiais, ativistas e soldados, temos empregos que envolvem correr algum tipo de risco de vida pelo nosso país. É a declaração mais forte que podemos fazer sobre pelo que vale a pena viver. Correr este risco para acabar com o Ebola mostra claramente que nossos companheiros seres humanos, onde quer que estejam, merecem viver:


https://secure.avaaz.org/po/ebola_volunteers_thank_you_3/?bqRaNfb&v=47394

Se o Ebola continuar saindo do controle, poderá rapidamente ameacar a todos nós. Vejam como dependemos uns dos outros: um sistema de saúde frácil em um pequeno país pode fazer com que esse monstro ameace a humanidade. Mas essa interdependência vai além de interesses em comum. Estamos todos conectados em uma comunidade de seres humanos. Todas as mentiras que nos separam, sobre nações, religião e sexualidade, estão caindo por terra, e estamos percebendo que, no final das contas, somos um único povo, uma única tribo. Uma jovem mãe e sua filha na Libéria sentem o mesmo medo, e amam da mesma forma, que uma jovem mãe e sua filha no Brasil ou na Holanda. E, ao darmos espaço para essa compreensão, um novo mundo surge. São os momentos de maior escuridão que fazem nossa luz brilhar com mais intensidade. Diante do profundo pesadelo do Ebola, vamos trazer a luz de um novo mundo e um novo povo, conectados por meio do amor e do desejo de lutar, e se sacrificar, uns pelos outros.

Com esperança e determinação,

Ricken, John, Alice, Danny, Richard, Antonia, Alaphia, Bert e toda a equipe da Avaaz

Mais informações:Entenda como o Ebola é transmitido (UOL)
http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/deutschewelle/2014/08/24/entenda-como-o-ebola-e-transmitido.htm
Ebola: OMS pede manutenção de esforços para barrar epidemia (Agência Brasil)
http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2014-09/ebola-oms-pede-manutencao-de-esforcos-para-barrar-epidemia

Paciente com ebola identificado no Brasil (Folha)
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/10/1530277-paciente-com-suspeita-de-ebola-e-transferido-ao-rio-de-janeiro.shtml

Ebola já causou 3.091 mortes em cinco países da África, alerta a OMS (G1)
http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2014/09/ebola-ja-causou-3091-mortes-em-cinco-paises-da-africa-alerta-oms.html

Europa prepara-se para o pior surto de ébola na história (Euronews)
http://pt.euronews.com/2014/10/09/europa-prepara-se-para-o-pior-surto-de-ebola-na-historia/

Já morreram 3865 pessoas devido ao vírus do ébola (Diário de Notícias)
http://www.dn.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=4169330


Fontes em inglês:
Até 1,4 milhão de pessoas poderão estar infectadas com Ebola até janeiro, alerta CDC (The Guardian)
http://www.theguardian.com/society/2014/sep/23/ebola-cdc-millions-infected-quarantine-africa-epidemic

Casos e epidemias do vírus Ebola, em ordem cronológica (Centers for Disease Control and Prevention)
http://www.cdc.gov/vhf/ebola/outbreaks/history/chronology.html

Ebola “devorando tudo que encontra pela frente” (Al Jazeera)
http://www.aljazeera.com/news/africa/2014/09/ebola-devouring-everything-path-201499161646914388.html

Taxa de morte de Ebola é de 70% - estudo da OMS (BBC)
http://www.bbc.com/news/world-africa-29327741

Número nunca visto antes de profissionais da saúde infectados com Ebola (OMS) 
http://www.who.int/mediacentre/news/ebola/25-august-2014/en/

8 de outubro de 2014

Inspire-se em 3 escolas que romperam com a sala de aula

Aprendizagem baseada em curiosidade, projetos e games. Blue School, High Tech High e Quest To Learn dão novos ares à educação.

>
Inspire-se em 3 escolas que romperam com a sala de aula

87% dos estudantes da High Tech High se formam nas universidades. 35% é a média do estado da Califórnia.

















Este artigo foi traduzido por AsBoasNovas.com e originalmente publicado na edição de Setembro de 2014 da revista Wired por Madhumita Venkataramanan.
O que acontece nas salas de aula não mudou desde os tempos vitorianos: a maioria das escolas ainda se baseia no modelo Gradgrindian, em qual os alunos absorvem a sabedoria do professor e são testados nas coisas que lembram. Felizmente, alguns educadores estão mostrando que os modelos alternativos podem proporcionar criatividade e autoaprendizagem. "A pessoa chave na educação é o aluno", diz o psicólogo evolucionista Peter Gray, da Universidade Rockefeller. "Às vezes, a inovação é "não fazer nada" – deixar as crianças assumirem o controle." Achamos que é hora de reinventar o ensino primário e secundário. Aqui estão seis projetos que passaram no teste da Wired.

1. Blue School
Nova Iorque, EUA

O Blue Man Group é composto de humanóides teatrais com rostos pintados que exploram o mundo ao seu redor. Este espírito curioso tomou conta da Blue School, fundada em Lower Manhattan pelo trio original de Blue Man e suas esposas. A escola, que atualmente vai até a 5ª série e expandirá até a 8ª, em 2017, acredita que as mentes curiosas são as melhores na aprendizagem e ter perspectivas diferentes é a melhor forma de incentivar a curiosidade.
No núcleo da escola há seis modos de aprendizagem, baseados em performances do Blue Man Group. Estes são personagens que as crianças "experimentam": há o Cientista, o Inocente, o Membro do Grupo, o Herói, o Artista e o Malandro, cada um com visões de mundo únicas. Os heróis, por exemplo, são líderes, enquanto Malandros desobedecem às regras e são inovadores. Enquanto crianças no jardim infantil estavam aprendendo sobre o trabalho do artista Andy Goldsworthy, eles estudaram isso a partir do ponto de vista do Malandro. Logo, as paredes da escola estavam cheias de obras de arte da guerrilha: paus, pedras e folhas foram coladas e presas clandestinamente. "Isso realmente foi um ato do Malandro, e foi apoiado e celebrado pela escola", diz Matt Goldman, co-fundador da escola e do Blue Man Group.
Crianças de dois anos em turmas da pré-escola batem tambores cobertos de tinta neon, uma ideia que vem de uma das performances do Blue Man Group. Em séries mais velhas, as crianças têm mais peso sobre o que eles querem aprender. "O trabalho do professor é pegar as perguntas que as crianças fazem, e transformá-las em um currículo", diz Allison Gaines Pell, diretora da Blue School. Em um exemplo, quando alunos da 5ª série estudaram A Odisséia, de Homero, ficaram interessados em saber como os gregos preservavam comida antigamente – e acabaram construindo um desidratador de alimentos para tentar descobrir isso.
Através de um currículo baseado em curiosidade, os fundadores da escola acreditam que estão criando crianças empreendedoras. "Achamos que há uma espécie de alquimia combustível em ter uma visão rica de mundo", diz Chris Wink, co-fundador da escola e Blue Man. "É ser capaz de pular de uma lente para outra."

2. High Tech High
San Diego, EUA

Larry Rosenstock estava ensinando carpintaria em uma escola estadual em Massachusetts nos anos 90, quando percebeu que projetos práticos era melhor maneira de envolver as crianças. Então, em 2000, ele ajudou a criar High Tech High, uma escola de ensino médio em San Diego com 200 crianças, com financiamento do Irwin Jacobs, co-fundador da Qualcomm. A escola é um dos 12 institutos a se especializar em aprendizagem baseada em projetos, com mais cinco (que vão do primário ao ensino médio) que serão construídas dentro dos próximos cinco anos.
A entrada na escola se dá por meio de sorteio e os alunos e professores trabalham em equipes como "designers" para adequar seus próprios currículos. Projetos concluídos até agora incluem um guia de campo ambiental a Baía de San Diego, que foi vendido na Amazon, e um estudo de um ano em vídeo sobre violência armada em escolas. Os professores muitas vezes misturam disciplinas; por exemplo, um projeto de arte pode envolver a construção de uma escultura incorporando engrenagens, que os alunos estão estudando em física.
Os benefícios são claros: 87% de estudantes da High Tech High se formam em cursos universitários de quatro anos, em comparação com a média do estado de 35%, segundo Rosenstock. O plano agora, diz ele, é se tornar global. Ele ensina dois Cursos Online Abertos e Massivos (MOOC), um com o MIT Media Lab sobre aprendizagem mais profunda, e outro com a Universidade da Califórnia, em Berkeley, sobre como iniciar uma escola. "O mundo precisa experimentar mais o que uma escola pode ser", diz ele.

3. Quest to Learn
Nova Iorque e Chicago, EUA

Katie Salen codificava e ensinava desenvolvimento de jogos virtuais em Nova York em 2009 quando ela se interessou pela obsessão de crianças de 11 anos com videogames. "Design de videogames tem tudo a ver com a experiência do jogador", diz ela. "É preciso construir um sistema onde eles sintam que estão no controle e podem ganhar. Muitas vezes, isto não é um sentimento que crianças do ensino médio têm." Por isso Salen, 43, fundou Quest to Learn em Nova York – uma escola pública em que as construções de salas de aula se baseia nos princípios de design de videogames. Designers de videogames internos trabalham com os professores, e o Instituto de Jogos da Salen, uma organização sem fins lucrativos que administra a escola, tem incubado um estúdio chamado GlassLab com Artes Eletrônicas, que desenvolve jogos com um componente de avaliação.
O currículo é baseado em desafios. "Nós os chamamos de missões", explica Salen. "Montamos um problema que as classes têm 10 semanas para resolver. Quando completam uma missão, outra é desbloqueada. Com jogos você falha, mas isso te ajuda a seguir em frente e melhorar." Peças como bambolês e dados são regularmente utilizados nas salas de aula. Missões incluem um desafio para escrever um plano de negócios para um negócio de caminhão de alimentos. Outra usou Minecraft para construir um sistema de energia sustentável para a escola baseado em jogos: um modelo geotérmico gerado por lava derretida fluindo abaixo do prédio.
Hoje existe uma escola cooperativa em Chicago e outra já está planejada para Denver. Próximo passo: usar o que aprenderam para levar as salas de aula à Turquia.
A matéria original publicado na edição de Setembro de 2014 da revista Wired por Madhumita Venkataramanan, apresentou 6 escolas. AsBoasNovas.com publicará as próximas 3 na semana que vem. Acompanhe!
FONTE: As Boas Novas 

7 de outubro de 2014

Proteção das florestas brasileiras

Após anos de queda, em 2013 a curva do #desmatamento na #Amazônia mudou de rumo e apresentou um aumento de 28%. O descontrole florestal no setor madeireiro cresceu 151% entre os anos de 2011 e 2012 no Pará, e 63% no Mato Grosso, os maiores produtores madeireiros de suas regiões. No acumulado, mais de 750.000 km2 da floresta já foram desmatadas, uma área equivalente a 3 vezes o tamanho do Estado de São Paulo. Diversas conquistas ambientais das últimas décadas enfrentam grave ameaça devido a iniciativas como a reformulação do Código Florestal, que visam criar uma guerra falaciosa entre produção e preservação.

Ao mesmo tempo, o movimento de pessoas que querem a conservação de nossas florestas só tende a crescer. Um exemplo disso está na adesão da população brasileira ao projeto de lei de iniciativa popular pelo desmatamento zero, que no mês de junho de 2014 ultrapassou a marca de 1 milhão de assinaturas. Apresentamos abaixo os pontos que consideramos fundamentais para a retomada da agenda de proteção às florestas no país, e para a manutenção de muitas das conquistas socioambientais de anos recentes:

Compromisso e apoio à lei de iniciativa popular pelo #desmatamentozero.

Retomada da criação e demarcação de Unidades de Conservação e Terras Indígenas, bem como a consolidação de todas as áreas já existentes e sua imediata regularização fundiária (com priorização das Unidades de Conservação Federais) - ações que envolvem investimento da ordem de R$7,1 bilhões segundo levantamento do Tribunal de Contas da União.

Compromisso de veto às proposições PEC 215/2000, PLP 227/2012, PL 1610/96, portaria 303 da AGU e demais propostas de mudança das regras de demarcação das Unidades de Conservação e dos territórios indígenas que impliquem no enfraquecimento de direitos das populações tradicionais e indígenas.

Efetivação das políticas públicas de regularização ambiental dos assentamentos de reforma agrária.

Mapeamento e qualificação das áreas já desmatadas com potencial produtivo, excetuando-se destas as áreas de especial relevância para proteção e conservação ambiental.

Elaboração do Plano Nacional de Proteção das Áreas de Mananciais das grandes cidades brasileiras, com o objetivo de auxiliar estados e municípios a conservar as florestas e matas fundamentais para garantir a produção de água visando o abastecimento da população.

#Greenpeace http://www.pressioneverde.org.br/

Plano Nacional de Mudança Climática


O governo brasileiro deu um passo importante no combate ao aquecimento global com a criação da Política Nacional de Mudanças do Clima em 2009. Uma meta para a redução de emissões de gases de efeito estufa foi projetada, e o país já cumpriu com dois terços dela - quase exclusivamente por conta da redução do desmatamento, que agora enfrenta ameaças após o enfraquecimento do Código Florestal. Progredimos bem, mas ainda de forma insuficiente pois o panorama nacional e internacional vem se tornando cada vez mais complexo.
As três principais frentes de atuação são uso do solo e agricultura, transporte e energia. Essas são as maiores fontes de emissão de gases de efeito estufa no país. É possível construir uma estratégia ampla e integrada de controle das emissões sem impactar negativamente a economia do país, de forma a manter a liderança no debate climático internacional. Tomando como base as propostas apresentadas no Plano Nacional, é fundamental que os candidatos à presidência se comprometam com:
  • Implementação dos Planos de Combate ao Desmatamento na Amazônia e no Cerrado em sua totalidade
  • Implementação e regularização das Unidades de Conservação e Terras Indígenas já definidas pelo governo
  • Criação de novas Unidades de Conservação, especialmente nos locais que foram identificados como prioritários para a conservação da biodiversidade, incluindo a ampliação em 2,5 milhões de hectares das unidades localizadas no Cerrado
  • Identificação integral das áreas já desmatadas que são aptas para a expansão da produção agropecuária
  • Eliminação de todos os subsídios para energia fóssil e nuclear
  • Incorporação dos impactos sociais e ambientais da produção e consumo de diferentes fontes de energia no seu custo
  • Elaboração de um novo Plano Setorial de Transporte e Mobilidade Urbana que esteja à altura dos desafios do setor
  • Estabelecimento de metas e prazos para redução das emissões de gases de efeito estufa no transporte
  • Estabelecimento de metas e prazos para o investimento em transporte público no plano nacional
  • Elaboração de plano nacional de adaptação aos impactos das mudanças climáticas no ciclo da água, com ênfase especial nas áreas de agricultura, energia e suprimento de água potável à população. 

Transportes

#MobilidadeUrbana
A mobilidade diz respeito à forma como nos deslocamos pela cidade. E é exatamente porque são múltiplas as maneiras de deslocamento – a pé, de bicicleta, transporte coletivo ou de carro – que precisam ser múltiplas também as soluções.

Se por um lado se vê a falência do sistema de transporte coletivo, por outro temos milhões de brasileiros presos em congestionamentos por horas a fio, poluindo constantemente. É fundamental investir na expansão e melhoria dos serviços públicos, e é também importante exigir a produção de veículos mais eficientes e que poluam menos.

A resolução desses pontos depende de ação maciça e contínua do Governo Federal, que precisa destinar ao tema a quantidade de recursos necessários e o destaque – em planejamento e estratégia – que ele merece. É inegável também que o aumento do investimento precisa ser acompanhado de bons planos de mobilidade nos estados e municípios, por meio de medidas a médio e longo prazo. Nesse contexto, candidatos devem assumir os seguintes compromissos:
Destinação de ao menos 2,1% do PIB para mobilidade urbana, conforme proposto pelo IPEA, dando prioridade ao investimento em transporte público


Capacitação e auxílio aos municípios e estados no planejamento da mobilidade, dotando setores do Governo como a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) de maior competência e capacidade técnica, humana e financeira para tal


Estabelecimento de padrões de eficiência energética para a produção de carros brasileiros. Os fabricantes de veículos automotores deverão alcançar metas mínimas de eficiência energética veicular, que serão progressivamente introduzidas de 2018 a 2021, até atingir a meta de 1,22 Mj/Km (megajoules por quilômetro). Se tal eficiência for alcançada, além dos benefícios ambientais a população brasileira economizaria R$287 bilhões em combustível até 2030.

Energias Renováveis

É inegável que o Brasil permanece em estado de alerta com relação a energia, sabendo que não demorará muito para que a conta de luz encareça – ou para que chegue um apagão. E não se pode culpar a estiagem que atingiu algumas regiões do Brasil no começo de 2014: esse risco existe há anos. O Governo Federal optou por uma política que privilegia hidrelétricas (com altos impactos socioambientais) e tem apresentado péssima gestão do sistema hídrico, que despreza fatores como a alteração do ciclo da chuva em razão das mudanças climáticas. Também decidiu por subsidiar usinas térmicas, que geram muita poluição, consomem muita água e emitem quantidades elevadas de gases de efeito estufa.
Esse cenário pode mudar, se as escolhas certas forem feitas agora. As novas energias renováveis, como a solar e a eólica, são cada vez mais comuns e possuem incontáveis vantagens ambientais e sociais, tais como a criação de empregos verdes e a descentralização da produção de energia, além de representarem uma indústria emergente no plano mundial. É preciso que o governo dedique mais esforços e recursos às novas fontes renováveis, e que candidatos se comprometam com as seguintes iniciativas:
  • Solarização de 1 milhão de casas em 4 anos, em um processo que pode ser viabilizado por:
    • Criação de incentivos fiscais às energias renováveis, envolvendo tributos federais (II, IPI e PIS-COFINS), levando a uma redução de 20% do preço de equipamentos do sistema solar fotovoltaico
    • Articulação junto ao Conselho Nacional de Política Fazendária (ConFaz) para garantir que a energia injetada na rede por mini e microgeneradores de energia tenha o mesmo valor que a energia consumida da rede
    • Tratamento diferenciado ao PIS-COFINS incidente sobre o consumo de energia, que pode ser garantido via decreto, com vistas também a garantir que a energia injetada na rede por mini e microgeneradores de energia tenha o mesmo valor que a energia consumida da rede

  • Criação de linhas de crédito com juros baixos e prazo acima de 10 anos para financiamento da compra do sistema fotovoltaico pelos bancos oficiais de crédito, para que cada brasileiro possa gerar energia a partir do telhado de sua casa

  • Ampliação da participação de novas energias renováveis na matriz elétrica por meio da realização de leilões por fonte de energia

  • Garantir capacidade instalada ou contratada para geração de 13 GW de eólica, 14 GW de biomassa e 3 GW de solar até 2018.
Chega de perder tempo! Pressione Verde! Acesse: www.pressioneverde.org.br

#Greenpeace 

Chega de perder tempo: Energia!


#MeioAmbiente
#Energia
#Greenpeace

Chega de perder tempo! Pressione Verde!

#MobilidadeUrbana
#Greenpeace

#OutubroRosa - Por que prédios estão iluminados?

#OutubroRosa

Conhecido como Outubro Rosa, ato lembra a luta do combate ao câncer de mama.

A luta para combater o câncer de mama, mal que assola milhares de mulheres, ganhou um reforço neste mês de outubro. Através de trabalhos de conscientização a respeito da importância do diagnóstico precoce, e de elevação da autoestima das mulheres, o chamado Outubro Rosa promove durante este mês uma série de atividades sobre o tema. Além de palestras, campanhas e conscientização, alguns elementos e recursos visuais são utilizados para chamar a atenção do público para a causa. Entre eles, a cor rosa, que é espalhada em lacinhos (a serem prendidos nas blusas), camisetas, faixas e prédios. Instalações de empresas e instituições públicas que apoiam a causa costumam iluminar seus prédios com a cor rosa. Em Santa Maria, essa prática já ocorre e iniciou desde o dia 1° de outubro.

O Planetário e o Arco de acesso à Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) já foram iluminados com o tom. A Câmara de Vereadores de Santa Maria, desde o dia 1°, também já foi iluminada. A sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), na Rua Astrogildo de Azevedo, bem como as janelas da sede da prefeitura, no prédio da extinta SUCV, receberam luzes cor-de-rosa.

O movimento Outubro Rosa é uma campanha criada para conscientização que costuma ser realizada por diversos setores durante o mês de outubro. A campanha é dirigida à sociedade e às mulheres e trata da importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Os primeiros sinais do movimento surgiram no ano de 1990, na primeira Corrida pela Cura realizada em Nova York (EUA). Somente em 1997 é que entidades das cidades de Yuba e Lodi, também nos Estados Unidos, começaram a promover atividades voltadas ao diagnóstico e prevenção da doença, escolhendo o mês de outubro como o momento para as ações. Hoje o Outubro Rosa é realizado em vários lugares do mundo.

As primeiras iniciativas

A primeira iniciativa vista no Brasil em relação ao Outubro Rosa foi a iluminação do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (conhecido como o Obelisco do Ibirapuera), situado em São Paulo, capital, no dia 2 de outubro de 2002. Essa iniciativa partiu de um grupo de mulheres simpatizantes com a causa que iluminaram de rosa o Obelisco do Ibirapuera em alusão ao Outubro Rosa.

Em outubro de 2008, diversas entidades relacionadas ao câncer de mama iluminaram de rosa monumentos e prédios em suas respectivas cidades, o que também aconteceu em Porto Alegre. Desde então, diversas cidades gaúchas promovem a iluminação de prédios como um sinal da luta contra o câncer de mama e a reivindicação de políticas para prevenção e conscientização.

Basílica Medianeira - Santa Maria - RS.
Planetário - UFSM - Santa Maria - RS
Sede do Executivo - Santa Maria - RS
Congresso Nacional - Brasília.

Cristo Redentor - Rio de Janeiro - RJ.