15 de novembro de 2009

Sábio

Um garoto de 4 anos tinha um vizinho idoso ao lado, cuja esposa havia falecido recentemente.

Ao vê-lo chorar, o menino foi para o quintal dele, e simplesmente sentou-se em seu colo.

Quando a mãe perguntou a ele o que havia dito ao velhinho, ele respondeu:

- Nada. Só o ajudei a chorar.

ADOÇÃO

Os alunos da professora de primeira série Debbie Moon estavam examinando uma foto de família.

Uma das crianças da foto tinha os cabelos de cor bem diferente dos demais. Alguém logo sugeriu que essa criança tivesse sido adotada.

Logo uma menina falou:

- Sei tudo sobre adoção, porque eu fui adotada.

Logo outro aluno perguntou-lhe:

- O que significa "ser adotado"?

- Significa - disse a menina - que você cresceu no coração de sua mãe, e não na barriga!

Conta uma testemunha ocular de Nova York:

Num frio dia de Dezembro, alguns anos atrás, um rapazinho de cerca de 10 anos, descalço, estava em pé em frente a uma loja de sapatos, olhando a vitrine e tremendo de frio.

Uma senhora se aproximou do rapaz e disse:

- Você está com pensamento tão profundo, olhando essa vitrine!

- Eu estava pedindo a Deus para me dar um par de sapatos - respondeu o garoto...

A senhora tomou-o pela mão, entrou na loja e pediu ao atendente para dar meia duzia de pares de meias para o menino. Ela também perguntou se poderia conseguir-lhe uma bacia com água e uma toalha. O balconista rapidamente atendeu-a e ela levou o garoto para a parte detrás da loja e, tirando as luvas, se ajoelhou e lavou seus pés pequenos e secou-os com a toalha.

Nesse meio tempo, o empregado havia trazido as meias. Calçando-as nos pés do garoto, ela também comprou-lhe um par de sapatos.

Ela amarrou os outros pares de meias e entregou-lhe. Deu um tapinha carinhoso em sua cabeça e disse:

- Sem dúvida, vai ser mais confortável agora.

Como ela logo se virou para ir, o garoto segurou-lhe a mão, olhou seu rosto diretamente, com légrimas nos olhos e perguntou:

- Você é a mulher de Deus?

O ser humano detesta a dor,mas tem uma fortíssima atração por ela!

11 de setembro de 2009

A vida eh mesmo coisa muito frágil, uma bobagem, uma irrelevância diante da eternidade do amor de quem se ama...

10 de setembro de 2009

"O amor comeu minha paz e minha guerra. Meu dia e minha noite. Meu inverno e meu verão. Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça, meu medo da morte."

João Cabral de Melo Neto
A vida é uma viagem bebida sem gelo, engolida às pressas, às vésperas da sede.

Vivendo a música internamente

"Na música todos os sentimentos voltam a seu estado puro e o mundo não é nada mais do que música feita realidade", afirmou em certa ocasião o filósofo alemão do século XIX Arthur Schopenhauer. Para a flautista espanhola contemporânea Magdalena Martínez, "a música é a arte mais direta porque entra pelo ouvido e atinge o coração".

Alguns especialistas, como a psicoterapeuta e ao mesmo tempo concertista María José López Sariñena, concordam com estas ideias, porque as experimentam diariamente em sua relação particular com pacientes e alunos, e ao mesmo tempo com os instrumentos e as partituras. Além disso, propõem experimentá-las, se aproximando da música de uma maneira cada vez mais profunda e intensa.

"Com um pouco de prática, se pode chegar a ter a sensação de ser a própria música. Quando se alcança a sensação de ser a própria música, uma canção ou uma peça deixam de ser uma série de sons harmônicos que são escutados ou dançados, para se transformar em uma experiência de desfrute sensorial e crescimento interior", diz esta professora e intérprete de música, que também trabalha em psicoterapia.

Um dos requisitos básicos para poder viver a música de uma maneira mais intensa e inclusive fundir-se com ela, está em treinar o ouvido para poder escutá-la em todos os seus matizes.

"Nossos ouvidos costumam estar 'abertos' à infinidade de estímulos sonoros, desde a rádio e a televisão, até os sons urbanos ou o último sucesso musical, e infinidade de fontes de decibéis. No entanto, paradoxalmente costumam estar 'fechados' aos demais, porque não nos escutamos uns a outros quando falamos", diz a especialista. "Escutar pode se transformar em uma revelação incrível se for um ato realizado com consciência e atenção", afirma María José López.


Ginástica dos ouvidos.

Para treinar a audição, é preciso prestar atenção ao escutar as outras pessoas e procurar estar com elas. É preciso escutar o que nos dizem e como nos dizem: sua voz e seus matizes. Por outro lado, você escuta a si mesmo quando se dirige aos demais? O que suas palavras, voz e entonação transmitem?

"É conveniente experimentar com os sons. Pegar um papel e amassá-lo, quebrar um galho, esmigalhar uma folha seca, esfregar os dedos perto do ouvido, atirar uma pedra em um tanque, abrir uma torneira e deixar correr a água, são experiências auditivas que têm 'sua própria música'", diz a concertista.

Desfrutar de uma música agradável, do canto dos pássaros, do som de um gongo ou de um sino podem fazer ressoar sensações insuspeitadas em quem os escuta.

A especialista também nos explica que existe um "experimento filosófico" de 20 a 120 minutos de duração, que pode ser utilizado regularmente como um método para expandir nossa denominada "realidade interior".

Consiste em isolar-se em um quarto, desligando todos os aparelhos (telefone, televisão, rádio etc.) menos o equipamento de música, e deixar tocar uma música que nos inspire, no maior volume possível. Assim nos aproximamos da música, através de seus ritmos, dos "aromas" que sugere.

"Relaxamos os músculos, entramos no som, nos deitamos no chão, no sofá e nosso corpo se torna pesado. Fizemos parte da música. Viajamos pelos ritmos, quase mágicos, rituais aos que ela, a música, nos convida. Tudo é música nesse momento", diz a terapeuta.

Segundo nos indica, "o corpo, a mente, os desejos, o intelecto não existem nesse instante. Só há música. A música que somos. Perderemos a sensação de poder dar palavras ao que experimentamos, visto que quando pensamos, passamos de ser música a escutar música. Trata-se de diluir o eu, estar vazios e presentes no momento, sem palavras, sem nomes".

"É então quando se adquire a possibilidade de se observar em uma nova esfera, longe de toda condição social ou material: um estado em muitas ocasiões definido pelos rituais xamânicos dos aborígines americanos", diz María José López.

Definitivamente, segundo a especialista, se trata de ver-se em outro contexto, flutuante, de fora, com uma infinidade de possibilidades, sem rancores, nem preocupações.

Nesse estado, tudo é música interior experimentada em seu estado mais puro. Nesses momentos também tem significado o velho ditado: "Se o mundo desaparecesse, só restaria a música".


María Jesús Ribas.

9 de setembro de 2009

[A arte maior é o jeito de cada um Vivo pra ser feliz não vivo pra ser comum]
"É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão. O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem sabe ver."

Olhar-se ao espelho e dizer-se deslumbrada: Sou tão delicada e forte. E a curva dos lábios manteve a inocência.
Não há homem ou mulher que por acaso não se tenha olhado no espelho e se surpreendido consigo próprio. Por uma fração de segundo a gente se vê como a um objeto a ser olhado. A isto se chamaria de Narcisismo, mais eu chamaria de: Alegria de ser. Alegria de encontrar na figura exterior os ecos da figura interna: Ah, então é verdade que eu não me imaginei, eu existo!

Deixe o PSY te dominar, o amor te alimentar a vibe te controlar...Sinta o som,sinta a vibe, sinta a união do corpo,mente e alma, seres humanos com, a capacidade de propagar energia pura, vivendo o êxtase dos sentidos..Aguçe sua mente e viaje nesse infinito de reações instantâneas e surreais..Seja um espírito LIVRE.

COERÊNCIA

Sempre acho que namoro, casamento, romance, tem começo, meio e fim, como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa:' -Ah, terminei o namoro -Nossa, estavam juntos há tanto tempo-Cinco anos...que
pena...acabou....-é...não deu certo...'
Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou. E o bom da vida, é que você pode ter vários amores. Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não
consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro? E não temos essa coisa completa. Às vezes ela é fiel, mas é devagar na cama. Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel. Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador. Às vezes ela é muito bonita, mas não é sensível, é chata e insegura. Tudo junto, não vamos encontrar.
Perceba qual o aspecto mais importante para você e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro. Quando você tem pele com alguém, pode ser o
papai com mamãe mais básico que é uma delícia. E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...Acho que o beijo é
importante...e se o beijo bate...se joga...se não bate...mais um Martini,
por favor...e vá dar uma volta. Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra. O outro tem o direito de não te querer. Não brigue, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa está com dúvidas, problema dela, cabe a você esperar.... ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.O ser humano
não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa realmente gostar, ela volta. Nada de drama. Que graça tem alguém do seu lado
sob pressão? O legal é alguém que está com você, só por você. E vice versa. Não fique com alguém por pena. Ou por medo da solidão. Nascemos sós. Morremos sós.
Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado. E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento. Tem gente que
pula de um romance para o outro. Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia? Gostar dói. Muitas vezes você vai sentir raiva, ciúmes, ódio, frustração.....Faz parte.Você convive com outro ser, um outro mundo, um outro universo. E nem sempre as coisas são como você gostaria que fosse.... A pior coisa é gente que tem medo de se envolver. Se alguém vier
com este papo, corra, afinal você não é terapeuta. Se não quer se
envolver, namore uma planta. É mais previsível. Na vida e no amor, não temos garantias. Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear. E nem todo sexo bom é para descartar...
Ou se apaixonar... Ou se culpar...Enfim...quem disse que ser adulto é fácil ?????'


(Arnaldo Jabor)

2 de setembro de 2009

Flávio Steffli Jr dá dicas de economia!

Fala aí galera! Então, vou contar um pouquinho de como fiz para economizar e me manter até hoje. Entre algumas táticas que usei duas foram as que mais deram resultado.

Desde cedo tive que controlar minhas finanças. Logo nos primeiros empregos tive que abrir uma conta bancária. Era um conta/poupança. A partir daí tracei uma meta: Todo o dinheiro que sobrasse das contas que eu tinha para pagar eu direcionava para a poupança, e lidava com esse dinheiro como “inexistente”. Ou seja, só usaria para fazer algum investimento ou comprar algo que eu quisesse muito, mas era proibido de usar para coisas pequenas, baladas ou regalias. Isso exige um grande autocontrole, mas sempre me deu retornos muito positivos.

A outra maneira que utilizei para economizar, tanto no Brasil quanto nas minhas viagens para o exterior foi aprender a fazer as obrigações da casa. Os gastos com restaurantes, lavanderias e empregada doméstica são altíssimos. Aprendendo a cozinhar, lavar roupas e fazer faxina deixei de gastar muito e pude utilizar a grana para outras finalidades como: viajar, estudar ou fazer compras.

É isso aí. Cuidem bem do seu dinheiro. E lembrem-se: gastar é muito mais fácil do que ganhar.

Boa saúde financeira!

Flávio Steffli Jr.

Epístola aos Novos Bárbaros

Jamais compreendereis a terrível simplicidade das
[minhas palavras
porque elas não são palavras: são rios, pássaros,
[naves...
no rumo de vossas almas bárbaras.
Sim, vós tendes as vossas almas supersticiosamente
[pintadas.
e não apenas a cara e o corpo como os verdadeiros
[selvagens.
Sabeis somente dar ouvido a palavras que não
[compreendeis,
e todos os vossos deuses são nascidos do medo.
E eu na verdade não vos trago a mensagem de
[nenhum deus.
Nem a minha...
Vim sacudir o que estava dormindo há tanto dentro de
[cada um de vós
a limpar-vos de vossas tatuagens.
E o frêmito que sentireis, então, nas almas transfiguradas
não será do revôo dos anjos... Mas apenas
o beijo amoroso e invisível do vento
sobre a pele nua.

[Mario Quintana; Baú de Espantos]

O império do consumo


Eduardo Galeano

A explosão do consumo no mundo atual faz mais barulho do que todas as guerras e mais algazarra do que todos os carnavais. Como diz um velho provérbio turco, aquele que bebe a conta, fica bêbado em dobro. A gandaia aturde e anuvia o olhar; esta grande bebedeira universal parece não ter limites no tempo nem no espaço. Mas a cultura de consumo faz muito barulho, assim como o tambor, porque está vazia; e na hora da verdade, quando o estrondo cessa e acaba a festa, o bêbado acorda, sozinho, acompanhado pela sua sombra e pelos pratos quebrados que deve pagar. A expansão da demanda se choca com as fronteiras impostas pelo mesmo sistema que a gera. O sistema precisa de mercados cada vez mais abertos e mais amplos tanto quanto os pulmões precisam de ar e, ao mesmo tempo, requer que estejam no chão, como estão, os preços das matérias primas e da força de trabalho humana. O sistema fala em nome de todos, dirige a todos suas imperiosas ordens de consumo, entre todos espalha a febre compradora; mas não tem jeito: para quase todo o mundo esta aventura começa e termina na telinha da TV. A maioria, que contrai dívidas para ter coisas, termina tendo apenas dívidas para pagar suas dívidas que geram novas dívidas, e acaba consumindo fantasias que, às vezes, materializa cometendo delitos. O direito ao desperdício, privilégio de poucos, afirma ser a liberdade de todos.

Dize-me quanto consomes e te direi quanto vales. Esta civilização não deixa as flores dormirem, nem as galinhas, nem as pessoas. Nas estufas, as flores estão expostas à luz contínua, para fazer com que cresçam mais rapidamente. Nas fábricas de ovos, a noite também está proibida para as galinhas. E as pessoas estão condenadas à insônia, pela ansiedade de comprar e pela angústia de pagar. Este modo de vida não é muito bom para as pessoas, mas é muito bom para a indústria farmacêutica. Os EUA consomem metade dos calmantes, ansiolíticos e demais drogas químicas que são vendidas legalmente no mundo; e mais da metade das drogas proibidas que são vendidas ilegalmente, o que não é uma coisinha à-toa quando se leva em conta que os EUA contam com apenas cinco por cento da população mundial.

«Gente infeliz, essa que vive se comparando», lamenta uma mulher no bairro de Buceo, em Montevidéu. A dor de já não ser, que outrora cantava o tango, deu lugar à vergonha de não ter. Um homem pobre é um pobre homem. «Quando não tens nada, pensas que não vales nada», diz um rapaz no bairro Villa Fiorito, em Buenos Aires. E outro confirma, na cidade dominicana de San Francisco de Macorís: «Meus irmãos trabalham para as marcas. Vivem comprando etiquetas, e vivem suando feito loucos para pagar as prestações».

Invisível violência do mercado: a diversidade é inimiga da rentabilidade, e a uniformidade é que manda. A produção em série, em escala gigantesca, impõe em todas partes suas pautas obrigatórias de consumo. Esta ditadura da uniformização obrigatória é mais devastadora do que qualquer ditadura do partido único: impõe, no mundo inteiro, um modo de vida que reproduz seres humanos como fotocópias do consumidor exemplar.

O consumidor exemplar é o homem quieto. Esta civilização, que confunde quantidade com qualidade, confunde gordura com boa alimentação. Segundo a revista científica The Lancet, na última década a «obesidade mórbida» aumentou quase 30% entre a
população jovem dos países mais desenvolvidos. Entre as crianças norte-americanas, a obesidade aumentou 40% nos últimos dezesseis anos, segundo pesquisa recente do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Colorado. O país que inventou as comidas e bebidas light, os diet food e os alimentos fat free, tem a maior quantidade de gordos do mundo. O consumidor exemplar desce do carro só para trabalhar e para assistir televisão. Sentado na frente da telinha, passa quatro horas por dia devorando comida plástica.

Vence o lixo fantasiado de comida: essa indústria está conquistando os paladares do mundo e está demolindo as tradições da cozinha local. Os costumes do bom comer, que vêm de longe, contam, em alguns países, milhares de anos de refinamento e diversidade e constituem um patrimônio coletivo que, de algum modo, está nos fogões de todos e não apenas na mesa dos ricos. Essas tradições, esses sinais de identidade cultural, essas festas da vida, estão sendo esmagadas, de modo fulminante, pela imposição do saber químico e único: a globalização do hambúrguer, a ditadura do fast food. A plastificação da comida em escala mundial, obra do McDonald´s, do Burger King e de outras fábricas, viola com sucesso o direito à autodeterminação da cozinha: direito sagrado, porque na boca a alma tem uma das suas portas.

A Copa do Mundo de futebol de 1998 confirmou para nós, entre outras coisas, que o cartão MasterCard tonifica os músculos, que a Coca-Cola proporciona eterna juventude e que o cardápio do McDonald´s não pode faltar na barriga de um bom atleta. O imenso exército do McDonald´s dispara hambúrgueres nas bocas das crianças e dos adultos no planeta inteiro. O duplo arco dessa M serviu como estandarte, durante a recente conquista dos países do Leste Europeu.

As filas na frente do McDonald´s de Moscou, inaugurado em 1990 com bandas e fanfarras, simbolizaram a vitória do Ocidente com tanta eloqüência quanto a queda do Muro de Berlim. Um sinal dos tempos: essa empresa, que encarna as virtudes do mundo livre, nega aos seus empregados a liberdade de filiar-se a qualquer sindicato. O McDonald´s viola, assim, um direito legalmente consagrado nos muitos países onde opera. Em 1997, alguns trabalhadores, membros disso que a empresa chama de Macfamília, tentaram sindicalizar-se em um restaurante de Montreal, no Canadá: o restaurante fechou. Mas, em 98, outros empregados do McDonald´s, em uma pequena cidade próxima a Vancouver, conseguiram essa conquista, digna do Guinness.

As massas consumidoras recebem ordens em um idioma universal: a publicidade conseguiu aquilo que o esperanto quis e não pôde.

Qualquer um entende, em qualquer lugar, as mensagens que a televisão transmite. No último quarto de século, os gastos em propaganda dobraram no mundo todo. Graças a isso, as crianças pobres bebem cada vez mais Coca-Cola e cada vez menos leite e o tempo de lazer vai se tornando tempo de consumo obrigatório. Tempo livre, tempo prisioneiro: as casas muito pobres não têm cama, mas têm televisão, e a televisão está com a palavra. Comprado em prestações, esse animalzinho é uma prova da vocação democrática do progresso: não escuta ninguém, mas fala para todos.

Pobres e ricos conhecem, assim, as qualidades dos automóveis do último modelo, e pobres e ricos ficam sabendo das vantajosas taxas de juros que tal ou qual banco oferece. Os especialistas sabem transformar as mercadorias em mágicos conjuntos contra a solidão. As coisas possuem atributos humanos: acariciam, fazem companhia, compreendem, ajudam, o perfume te beija e o carro é o amigo que nunca falha. A cultura do consumo fez da solidão o mais lucrativo dos mercados.

Os buracos no peito são preenchidos enchendo-os de coisas, ou sonhando com fazer isso. E as coisas não só podem abraçar: elas também podem ser símbolos de ascensão social, salvo-condutos para atravessar as alfândegas da sociedade de classes, chaves que abrem as portas proibidas. Quanto mais exclusivas, melhor: as coisas escolhem você e salvam você do anonimato das multidões. A publicidade não informa sobre o produto que vende, ou faz isso muito raramente. Isso é o que menos importa. Sua função primordial consiste em compensar frustrações e alimentar fantasias. Comprando este creme de barbear, você quer se transformar em quem?

O criminologista Anthony Platt observou que os delitos das ruas não são fruto somente da extrema pobreza. Também são fruto da ética individualista. A obsessão social pelo sucesso, diz Platt, incide decisivamente sobre a apropriação ilegal das coisas. Eu sempre ouvi dizer que o dinheiro não trás felicidade; mas qualquer pobre que assista televisão tem motivos de sobra para acreditar que o dinheiro trás algo tão parecido que a diferença é assunto para especialistas.

Segundo o historiador Eric Hobsbawm, o século XX marcou o fim de sete mil anos de vida humana centrada na agricultura, desde que apareceram os primeiros cultivos, no final do paleolítico. A população mundial torna-se urbana, os camponeses tornam-se cidadãos. Na América Latina temos campos sem ninguém e enormes formigueiros urbanos: as maiores cidades do mundo, e as mais injustas. Expulsos pela agricultura moderna de exportação e pela erosão das suas terras, os camponeses invadem os subúrbios. Eles acreditam que Deus está em todas partes, mas por experiência própria sabem que atende nos grandes centros urbanos.

As cidades prometem trabalho, prosperidade, um futuro para os filhos. Nos campos, os esperadores olham a vida passar, e morrem bocejando; nas cidades, a vida acontece e chama. Amontoados em cortiços, a primeira coisa que os recém chegados descobrem é que o trabalho falta e os braços sobram, que nada é de graça e que os artigos de luxo mais caros são o ar e o silêncio.

Enquanto o século XIV nascia, o padre Giordano da Rivalto pronunciou, em Florença, um elogio das cidades. Disse que as cidades cresciam «porque as pessoas sentem gosto em juntar-se». Juntar-se, encontrar-se. Mas, quem encontra com quem? A esperança encontra-se com a realidade? O desejo, encontra-se com o mundo? E as pessoas, encontram-se com as pessoas?Se as relações humanas foram reduzidas a relações entre coisas, quanta gente encontra-se com as coisas?

O mundo inteiro tende a transformar-se em uma grande tela de televisão, na qual as coisas se olham mas não se tocam. As mercadorias em oferta invadem e privatizam os espaços públicos.

Os terminais de ônibus e as estações de trens, que até pouco tempo atrás eram espaços de encontro entre pessoas, estão se transformando, agora, em espaços de exibição comercial. O shopping center, o centro comercial, vitrine de todas as vitrines, impõe sua presença esmagadora. As multidões concorrem, em peregrinação, a esse templo maior das missas do consumo. A maioria dos devotos contempla, em êxtase, as coisas que seus bolsos não podem pagar, enquanto a minoria compradora é submetida ao bombardeio da oferta incessante e extenuante. A multidão, que sobe e desce pelas escadas mecânicas, viaja pelo mundo: os manequins vestem como em Milão ou Paris e as máquinas soam como em Chicago; e para ver e ouvir não é preciso pagar passagem. Os turistas vindos das cidades do interior, ou das cidades que ainda não mereceram estas benesses da felicidade moderna, posam para a foto, aos pés das marcas internacionais mais famosas, tal e como antes posavam aos pés da estátua do prócer na praça.

Beatriz Solano observou que os habitantes dos bairros suburbanos vão ao center, ao shopping center, como antes iam até o centro. O tradicional passeio do fim-de-semana até o centro da cidade tende a ser substituído pela excursão até esses centros urbanos. De banho tomado, arrumados e penteados, vestidos com suas melhores galas, os visitantes vêm para uma festa à qual não foram convidados, mas podem olhar tudo. Famílias inteiras empreendem a viagem na cápsula espacial que percorre o universo do consumo, onde a estética do mercado desenhou uma paisagem alucinante de modelos, marcas e etiquetas.

A cultura do consumo, cultura do efêmero, condena tudo à descartabilidade midiática. Tudo muda no ritmo vertiginoso da moda, colocada à serviço da necessidade de vender. As coisas envelhecem num piscar de olhos, para serem substituídas por outras coisas de vida fugaz. Hoje, quando o único que permanece é a insegurança, as mercadorias, fabricadas para não durar, são tão voláteis quanto o capital que as financia e o trabalho que as gera. O dinheiro voa na velocidade da luz: ontem estava lá, hoje está aqui, amanhã quem sabe onde, e todo trabalhador é um desempregado em potencial.

Paradoxalmente, os shoppings centers, reinos da fugacidade, oferecem a mais bem-sucedida ilusão de segurança. Eles resistem fora do tempo, sem idade e sem raiz, sem noite e sem dia e sem memória, e existem fora do espaço, além das turbulências da perigosa realidade do mundo.

Os donos do mundo usam o mundo como se fosse descartável: uma mercadoria de vida efêmera, que se esgota assim como se esgotam, pouco depois de nascer, as imagens disparadas pela metralhadora da televisão e as modas e os ídolos que a publicidade lança, sem pausa, no mercado. Mas, para qual outro mundo vamos nos mudar? Estamos todos obrigados a acreditar na historinha de que Deus vendeu o planeta para umas poucas empresas porque, estando de mau humor, decidiu privatizar o universo? A sociedade de consumo é uma armadilha para pegar bobos.

Aqueles que comandam o jogo fazem de conta que não sabem disso, mas qualquer um que tenha olhos na cara pode ver que a grande maioria das pessoas consome pouco, pouquinho e nada, necessariamente, para garantir a existência da pouca natureza que nos resta. A injustiça social não é um erro por corrigir, nem um defeito por superar: é uma necessidade essencial. Não existe natureza capaz de alimentar um shopping center do tamanho do planeta.

Eduardo Galeano é escritor uruguaio, autor de As veias abertas da América Latina.


Fonte: http://www.socialismo.org.br/portal/questoes-ideologicas/83-artigo/469-o-imperio-do-consumo-


21 de agosto de 2009

"Muitas vezes quando nos apaixonamos parece que nada mais tem importância à não ser pensar naquele alguém, esquecemos de nós mesmos para viver a vida do outro e quando nos damos conta, perdemos muito tempo sem se olhar bem fundo no espelho e gostar de si mesmos e principalmente nos respeitar. Por que se não gostarmos de nós, como será possível alguém gostar e respeitar os nossos sentimentos? Sem saber que devemos nos amar e nos permitir a felicidade, sim porque ela está em nós, apenas em nós e assim podemos compartilhá-la com o outro. Em certos momentos parece que o amor anda fugindo da gente, mas nunca deixe escapar um amor muito especial: o amor próprio!"

O Olhar diz mais que Mil Palavras

"a profundidade de um olhar...
silencia a voz
apaga o gesto
pára o tempo..

a profundidade de um olhar..
solta a verdade
mostra o sentimento
solta a emoção..

a profundidade de um olhar..
magia que vem de dentro
grito da alma
no silêncio do olhar."

"As mais lindas palavras de amor são ditas no silêncio de um olhar."
Leonardo da Vinci

"As palavras estão cheias de falsidade ou de arte; o olhar é a linguagem do coração."
William Shakespeare

Amanhã pode ser tarde de mais

ontem? isso faz tempo!
amanhã? não nos cabe saber

amanhã pode ser tarde
pra você dizer que ama
pra você dizer que perdoa
pra você dizer que desculpa
pra você dizer que quer tentar de novo

não deixe pra amanhã
o sorriso, o abraço, o carinho, o trabalho, o sonho, a ajuda.

não deixe pra perguntar amanha
por que você está triste?
o que há com você?
cadê o seu sorriso?
cade seus sonhos?
onde está sua garra?
lembre-se:

amanhã pode ser muito tarde
procure, vá atrás, insista!
tente mais uma vez
só hoje é definitivo!

O vento vai responder

Composição: Bob Dylan

Quantos caminhos se tem que andar
Antes de tornar-se alguém?
Quantos dos mares temos que atrevessar
Pra poder, na areia, descansar?
Quantas mais balas perdidas voarão
Antes de desaparecer?

Escute o que diz
O vento, my friend
O vento vai responder

Quantas vezes olharemos o céu
Antes de saber enxergar?
Quantos ouvidos terá o poder
Para ouvir o povo chorar?
Quantas mais mortes o crime fará
Antes de se satisfazer?

Escute o que diz
O vento, my friend
O vento vai responder

Quantos anos pode uma montanha existir
Antes do mar lhe cobrir?
Quantos seres ainda irão torturar
Antes de se libertar?
Quantas cabeças viraram assim
Fingindo não poderem ver?

Escute o que diz
O vento, my friend
O vento vai responder

Eu sinto saudade


Sinto saudade do tempo.
Do tempo em que eu era criança
Do tempo em que tudo era só brincadeira
Do tempo em que eu era feliz.
E não sabia

Sinto saudade do tempo em que as coisas eram apenas novidade
Do tempo em que tudo o que eu fazia dava certo
Das pessoas que conheci
Das amizades que fiz
Dos relacionamentos que tive

Sinto saudade do tempo
De quando amar parecia algo muito distante
De quando a vida era apenas uma festa
Das brincadeiras que fazia com meus amigos

Sinto saudade do tempo
Tempo em que não dava satisfações de minha vida
De não ter que dar explicações
De fazer o que queria e não me arrepender

Sinto saudade
Do tempo que passou
E que não volta mais

Mas de tudo isso
Também sinto saudade...

    Afinal quem não sente?
"Let's swim to the moon,
let's climb through the tide.
Penetrate the,
evening that the,
city sleeps to hide.
Let's swim out tonight love,
it's our time to try.
Park besides the ocean,
on our moonlight drive"

(Moonlight Drive)

Jim Morrison

Norman Mailer: "As pessoas procuram o amor para solucionar os seus problemas, quando na verdade o amor é a recompensa por você ter solucionado os seus problemas".
Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o seu cajado me consolam. (Salmo 23:4)
Tudo na vida tem um propósito...
Por mais simples que possa parecer,
Nada acontece por acaso.

Ser fiel é saber respeitar quem você ama de verdade,
Não enganar, não trair,
Saber dar valor a pessoa que confia em você.
Ser fiel é... um dom,
Que não se aprende,
Não se ensina ou se estuda.
Tal qual um anjo não é anjo por escolha e sim por vocação.
"As circustâncias NÃO CRIAM O HOMEM: o homem é que cria as circustâncias COM AS SUAS DECISÕES e, com as suas decisões, define o seu COMPORTAMENTO."

19 de agosto de 2009

"Pensamentos valem e vivem pela observação exata ou nova, pela reflexão aguda ou profunda; não menos querem a originalidade, a simplicidade e a graça do dizer."


"A vida é cheia de obrigações que a gente cumpre por mais vontade que tenha de as infringir deslavadamente."


Machado de Assis

Botas...as botas apertadas são uma das maiores venturas da terra, porque, fazendo doer os pés, dão azo ao prazer de as descalçar.


Clarice Lispector
"Meu pensamento sempre foi resultado de uma consciência da terra, de povo. Eu venho pregando há muitos anos contra o colonialismo cultural, contra a aceitação passiva,sem nenhuma análise crítica, das fórmulas que nos vêm do exterior, em revistas, bienais, etc. É a favor de um caminho voltado para as profundezas do ser brasileiro, suas raízes, seu sentir. A arte não é apanágio de nenhum povo, é um produto biológico vital".
[ Rubem Valentim ]
"Não é louco quem corre atrás de uma esperança, porque a esperança é o fim de nossa própria vida."
[ Menotti Del Picchia ]

A LUA


A lua surgiu majestosa e sob ela o meu amor
Ela apontava imperiosa a direção do meu sorriso
E sem perceber a fui seguindo
À procura do brilho dourado

Na velocidade do meu pensamento
Ela se escondeu envergonhada
E nas nuvens emoldurada
Ele encontrou a sua amada

A lua tão alta, inalcançável,
admiravelmente bela
Abaixo dela nós pobres mortais
Enaltecendo aquilo que não se consegue explicar

(Pintura de Tarcila do Amaral - A Lua)
De todos dos pontos
De qualquer janela
É ela
A lua

Aviso!


"Venha quando quiser,
ligue, chame, escreva...
tem espaço na casa e no coração,
só não se perca de mim.”

Caio Fernando Abreu
Eis que algum dia percebi o quanto sou feliz por estar vivo. A dimensão do que posso ser, fazer e desfazer vai além do que eu jamais poderia imagi- nar. É algo incrivelmente majestoso.
[Palavras quase ocultas]

Última chuva.

“Na chuva tão densa que cai qual cortina, Que embaça a vista e turva o olhar.”

(Salete Gurgel)

Insistente e cheia de novidades para propor.

Vem com vontade, com aquela voz insuportavelmente agradável.

Diz coisas belas, promete-me que veio para matar a sede e purificar o pecado.

Acaricia minha janela e diz que precisa me falar.

Convenço-a de que é melhor conversarmos lá fora.

E ela aceita.

A seita: um ritual que me faz perder o controle e cair sobre aquelas gotas de prazer.

Enrosca seu corpo por todo o meu. Faz carinho nos meus cabelos molhados.

E não perde a voz. Ressoa. Segura. Vocifera.

Meu corpo está como veio ao mundo. Roupas transparentes.

E ela terrivelmente sensual. Toca-me por completo, molha meus pés e beija-me sem luto.

Água que escorre pela boca e entrelaça minha saliva.

Chuva que bate aqui sem comiseração.

Afoga-me.

Palavras Quase Ocultas


"Como Rei de meus atos, sinto incontrolavelmente desejos vorazes e paixões sãs. Busco saciar a sede de meu corpo, desflorar o prazer de minha existência, sonhar alto, extingüir paradigmas obsoletos. E não parar nunca, idealizando no íntimo de minha candura a paz árdua de que necessito - a paz de meu alento."

Miragens


Sinto a música chegar ao fim. Com o corpo esticado no sofá e o sono a me conduzir por dentro, não ofereço resistência ao silêncio que vem tomando a sala, povoando minha mente em espiral.
As memórias sobrepõem-se umas às outras digladiando com minha lucidez, agora ínfima. Faço a passagem do mundo real para o mundo dos sonhos. Era menino e estava sentado à sombra de uma árvore, comendo caju, descalço, despenteado. Um enorme cavalo branco vinha trazendo consigo a criatura.
Os olhos cintilantes de um leve azul escuro; os longos cabelos ruivos, encaracolados; o véu na cabeça. Levantei-me e olhei-a de frente, não mudara. Estendi-lhe as mãos para tocar mas senti o vazio. A cadeia surreal do sonho irrompeu-se de volta para a sala. Tateei o ar como quem por algo procura. Balbuciei um nome inaudível e o sonho rumou ao infinito. Longe de mim interpretar certos mistérios.

(Exatos)

"...preciso de uma chance de tocar em você,captar a vibração que sinto em sua imagem."

Me disseram para ser

alguém que eu não quero ser. Isso só faz crescer a vontade aqui dentro de mostrar pra todos e calar a boca de todos.

Geralmente

Quando os problemas aparecem é quando a gente está desprevinido, não é? ERRADO! É você que perdeu o controle da situação, perdeu a capacidade de controlar os desafios, principalmente quando a gente foge das lições que a vida coloca na nossa frente. Você se acha sempre incapaz de resolver, se acovarda, o pensamento é a força criadora. O amanha é ilusório porque ainda não existe. O hoje é real, é a realidade que você pode interferir, mas as oportunidades de mudança estão no presente. Não espere o futuro mudar sua vida, porque o futuro será consequencia do presente. Parasita hoje, um coitado amanha. Corrida hoje, vitória amanha. Nunca esqueça disso.

Não, não é por vaidade

Dói
Durante toda a madrugada
Pinçando as letras, juntando as palavras
Sendo vil comigo mesma(o), piorando tudo
Com medo de não conseguir, com medo
De ser tudo tolice, e é
Tudo tolice, tudo por essa estúpida carência de
Querer ser
Ser aquilo que disse que seria
Atrás dos elogios que não vieram
Quando ainda era tempo.

Ainda hoje,

sentada na escada, de cara amarrada, pensei em você. E em todas as suas loucuras, aquelas loucuras, e eu não sei porque, tudo que você fala no meu ouvido a minha cabeça mistura, e eu penso que somos mais que amigos, você não acha loucura?

Eu sei e você sabe,

já que a vida quis assim, que nada nesse mundo levará você de mim. Eu sei e você sabe que a

distância não existe, que todo grande amor, só é bem grande se for triste. Por isso, meu amor, não

tenha medo de sofrer, que todos os caminhos me encaminham pra você.

Assim como o oceano, só é belo com luar. Assim como a canção, só tem razão se se cantar. Assim

como uma nuvem, só acontece se chover. Assim como o poeta, só é grande se sofrer. Assim como

viver, sem ter amor não é viver. Não há você sem mim e eu não existo sem você ♥

Eu só quero ficar com você

Neste momento para sempre, para todo o sempre. Não quero perder um sorriso, não quero perder um beijo. Bom, eu só quero ficar com você, aqui com você, apenas assim.
Eu só quero te abraçar forte, sentir seu coração perto do meu e ficar aqui neste momento, por todo o resto dos tempos. Não quero fechar meus olhos, não quero pegar no sono, porque eu sentiria sua falta, baby. E eu não quero perder nada. Porque mesmo quando eu sonho com você, o sonho mais doce nunca vai ser suficiente, e eu ainda sentiria a sua falta, baby. E eu não quero perder nada... ♥

Escolhas,

às vezes nem sempre os opostos se atraem...
"Tenho uma alma prolixa e uso poucas palavras.
Sou irritável e firo facilmente.
Também sou muito calma e perdôo logo.
Não esqueço nunca.
Mas há poucas coisas de que eu me lembre."

Clarice Lispector

Todos DIFERENTES, Todos IGUAIS

Eu não distingo cores, adoro o arco-íris.
Não sei o que é homem nem mulher, nem qual o sexo fraco... só conheço o Ser Humano.
Nunca vi brancos nem pretos, amarelos ou vermelhos... vejo outras culturas e outros povos.
Não acredito em heterossexualidade, bissexualidade e homossexualidade... acredito apenas na sexualidade.
Não sou Budista nem Cristão, nem tenho Alá no coração... mas tenho FÉ!
Você se espanta com meu modelo...É que eu saí de outra história... Os heróis na minha blusa, não são os que você usa... E eu não te entendo bem...
"Ser você mesmo, em um mundo que está constantemente tentando fazer de você outra coisa, é a maior realização."
Ralph W. Emerson
Eu... que não me sento no trono de um apartamento com a boca escancarada, cheia de dentes, esperando a morte chegar!!! Porque longe das cercas embandeiradas que separam quintais, no cume calmo, do meu olho que vê... Há sempre a sombra sonora de um disco voador...
Eu também sou vitima de sonhos adiados, de esperanças dilaceradas, mas, apesar disso, eu ainda tenho um sonho, porque a gente não pode desistir da vida. Martin Luther King Jr.
Aprendemos a querer-te
Desde tua grande história
Onde o sol de sua bravura
Onde resultou a tua morte
Tua mão gloriosa e forte
Sobre a história dispara
Quando todo Santa Clara
Se acorda pra te ver
Vens queimando a brisa
Com sois de primavera
Para plantar a bandeira
Com a luz de seu sorriso
Teu amor revolucionario
Te conduz a nova empreitada
Onde esperam a firmeza
De teu braço libertário
Seguiremos adiante
Como junto a ti seguimos
E com Fidel te dissemos - Até sempre Comandante!
Aqui caem as claras
A tua dedicada aparencia
Da tua querida presença
Comandante Che Guevara
"Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros". ERNESTO CHE GUEVARA

18 de agosto de 2009

Quero sentir o sabor da manhã...
Olhar nos olhos de meus cães e ler toda ternura do mundo,
Quero sentir o cheiro de chuva,
Ver o sorriso de minha filha e ver o amor estampado em seus olhos,
Quero olhar o sorriso de uma criança,
Quero sorrir com meus amigos,
Quero ver a Lua,
Sentir o vento batendo em meu rosto,
Quero olhar o céu com suas nuvens de algodão,
Quero sorrir,não pelo que apenas vejo,mas pelo que sinto...
Quero ouvir o canto dos passáros
Quero me encontrar...
Agradecer ao Universo por tudo que ele me concede
Quero dançar minha felicidade...
Hoje,apenas quero ser feliz...

By Serena
"Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim.
E não dizemos nada.

Na segunda noite, já não se escondem; pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada.

Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.

E já não podemos dizer nada."

Autor: Eduardo Alves Costa
No mistério do sem-fim
equilibra-se um planeta.
E, no planeta, um jardim,
e, no jardim, um canteiro;
no canteiro uma violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,
entre o planeta e o sem-fim,
a asa de uma borboleta
[Cecília Meireles]

17 de agosto de 2009

Um amigo me falou...

...vc tem cada frase, a partir do momento que vc coloca no seu nick (do msn) isso passa a ser apenas uma ponte para algo que existe dentro de vc por isso vc se revela por elas...

EngHaw

"...Nós não precisamos saber pra onde vamos, nós só precisamos ir..."
E baby, quando é amor e não for forte, não é divertido.. . !
"O amor nada mais é que o ato da gente ficar no ar, antes de mergulhar."

15 de agosto de 2009

"Sempre sei, realmente. Só o que eu quis, todo o tempo, o que eu pelejei para achar, era uma só coisa - a inteira - cujo significado e vislumbrado dela eu vejo que sempre tive. A que era: que existe uma receita, a norma dum caminho certo, estreito, de cada uma pessoa viver - e essa pauta cada um tem - mas a gente mesmo, no comum, não sabe encontrar; como é que sozinho, por si, alguém ia poder encontrar e saber? Mas, esse norteado, tem. Tem que ter. Se não, a vida de todos ficava sendo sempre o confuso dessa doideira que é. E que: para cada dia, e cada hora, só uma ação possível da gente é que consegue ser a certa."

"O correr da vida embrulha tudo.
A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa,sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem".

João Guimarães Rosa

Mentiras

Lili vive no mundo do faz de conta...
Faz de conta que isto é um avião.
Zzzzzuuu...
Depois aterrizou em um piquê e virou um trem.
Tuc tuc tuc tuc...
Entrou pelo túnel, chispando.
Mas debaixo da mesa havia bandidos.
Pum! Pum! Pum!
O trem descarrilou.
E o mocinho?
Onde é que está o mocinho?
Meu Deus! onde é que está o mocinho?!
No auge da confusão, levaram Lili para cama, à força.
E o trem ficou tristemente derribado no chão,
Fazendo de conta que era mesmo uma lata de sardinha.

[Mario Quintana; Sapato Florido, 1948]

Jota Quest - Seis E Trinta

Pareço contigo, normal e do avesso
Vamos seguir o caminho seguro
Pra continuarmos assim no futuro
Pareço contigo, sem mais nem por quê
Vamos seguir nossas pistas com toda incerteza
Pra continuarmos felizes à mesa
Eu dou um valor absurdo na vida
Ela me traz bem mais que alegria
Traz alguém pro meu sozinho
Você às seis e trinta
Você às seis e trinta
Pareço contigo, de olhos fechados
Vamos seguir no escuro sonhando acordados
Pra nunca deixar nossa luz se apagar
A gente se parece tanto
A gente está só começando
A gente vai se conhecendo
E vê que ainda não sabe nada
A gente só quer ser feliz
Um mundo mais equilibrado
A gente esquece que o amor
É tudo e não nos cobra nada
Eu dou um valor absurdo na vida
Ela me traz bem mais que alegria
Traz alguém pro meu sozinho
Você às seis e trinta
Você às seis e trinta
Você às seis e trinta
Você às seis e trinta

Cores e sabores

Noite! Estou no quarto sozinha, ninguém pra conversar. Pensando em alguém que longe nem se lembra. Será que lembra? Será que gosta?? Queria que chovesse enquanto durmo pra ver se consigo imaginar nós dois juntos de novo... Aquele lugar era colorido...um dia em amarelo, no ar fresco sentia teu corpo, teu cheiro na brisa leve e silenciosa, a pele clara... via teu rosto e o sorriso na boca...com gosto de chocolate branco, agora! E não me deixa raciocinar, instiga o instinto, a vontade, a saudade e o pulso... impulso! A terra vermelha, a grama...verde vivo e o azul do céu...O Sol laranja e vermelho, no sonho que tinha tudo o que é e o que será. Da cor da surpresa verá tudo sorriso, riso, abraço e beijo. Tudo é rosa, o rosa das palavras e o que está entre elas. A Lua prata depois aparece, despertar é a intenção e aproximar é o objetivo. Dourado também junto da cor da pele no brilho do olhar. Um sonho cheio de cores e sabores...
A base de cada estado é a educação da juventude.

14 de agosto de 2009

A música como forma de protesto

Texto retirado de http://br.noticias.yahoo.com/s/14082009/48/entretenimento-musica-forma-protesto.html

Por Andreas Kisser, colunista do Yahoo! Brasil

A música já é conhecida por ser utilizada para mensagens de protesto e reivindicações, sempre teve o poder de atingir as massas e mudar o curso da História.

Bob Dylan foi um dos primeiros artistas a escrever letras mais sérias, politizadas num período pós Segunda Guerra, num país onde as pessoas estavam acordando para um mundo mais real, depois da euforia da vitória. Letras que contestavam a atitude do povo, do governo e da mídia. Ele inspirou e ainda inspira várias gerações, não só nos Estados Unidos, mas em todo o mundo. A música era muito ingênua antes de Bob Dylan, era inofensiva.

Os Beatles, principalmente John Lennon, tiveram o "aval" de Bob para falar e expressar suas ideias, filosofias e opiniões. Nos anos 60, protestos contra a Guerra do Vietnã, no EUA, e pela Paz, no mundo, espalharam-se pelo planeta, mudando a forma como a mídia iria cobrir as futuras guerras dos norte-americanos.

Jimi Hendrix fez o seu protesto no festival Woodstock, que neste fim de semana completa 40 anos. Foi um marco, a performance mais lembrada e citada do festival. Ele "falou" com sua guitarra. Antes de começar "Purple Haze", ele improvisou o hino nacional norte-americano, incluindo efeitos especiais com a alavanca e pedais delay, wah-wah e o famoso Big Muff, imitando ataques aéreos e de bombas Napalm - que era usadas na guerra do Vietnã - caindo. Foi inesperado, intenso, pesado e muito inspirador. O mundo não foi mais o mesmo depois de Woodstock.

Mas além destes exemplos de música com teor de protesto, o que me instigou a escrever este texto foi um vídeo que eu vi esta semana. Um exemplo espetacular de como a música pode atingir lugares inimagináveis. O vídeo é um clipe de uma banda de country contando uma história baseada em fatos reais, aliás, é a história propriamente dita contada em detalhes.

O clipe conta que como é difícil para uma banda viajar de avião hoje em dia, sendo músico e tendo que despachar os instrumentos no check-in. Instrumentos únicos, caros e que sempre têm um valor sentimental, são quase como filhos, manejado com todos os mimos e atenção. Enfim, o violão do vocalista, Dave Carroll, chega ao destino totalmente destruído, isso porque estava em um estojo duro, geralmente resistente a leves pancadas. A compania aérea não cuidou do violão como um item frágil, com todo o cuidado que merece. Atiraram o estojo como se fosse um saco de batatas, não tiveram o mínimo respeito ou preparo para lidar com o estojo.

Dave lutou pelos seus direitos e por uma indenização por meses, acho que mais de um ano, pelos caminhos certos, legais e claro, muito burocráticos, até que no fim disseram que não podiam fazer nada e que ele teria que arcar com o prejuízo de U$ 3500.

Dave resolveu então contar a sua história através de uma música e um clipe. Postou na internet e tem quase 5 milhões de hits. Incrível! A música é muito bem feita e executada, conta a história com clareza e humor. Depois deste sucesso, a companhia aérea entrou em contato com Dave querendo pagar todos os prejuízos e pedindo para que ele retirasse o video do ar. É claro que Dave não aceitou a proposta e pediu para que mandasse o dinheiro a uma instituição de caridade. Fantástico!

É espetacular ouvir o que a música tem a dizer, especialmente na luta contra o abuso de poder e a arrogância de algumas grandes empresas que nos fazem escravos de seus desejos. O brasileiro não tem muito o costume de protestar, reinvidicar o seus direitos, ser cidadão. Que isso possa nos inspirar a ser mais criativos no combate a estes abusos. Na mídia, no cotidiano, no trabalho, no Senado...

A nossa conivência é o que torna esses abusos possíveis!

Andreas Kisser

video

13 de agosto de 2009

"Recuso-me a fazer parte do coro dos contentes. E recuso-me amavelmente a fazer parte também do coro dos conformados.
Não vou pisar jamais no tapete sob o qual escondem o lixo da sociedade.
Eu nasci para ser aspirador de pó."

12 de agosto de 2009

"todo momento é um novo início..."

O Analfabeto Político

video
"O mundo é meu país, a ciência é minha religião".
(Christiaan Huygens)

11 de agosto de 2009

A auto-confiança é o primeiro requisito para grandes realizações!

6 de agosto de 2009


Ela é uma rainha matadora
Gelatina de pólvora
Dinamite com raio laser
É garantia de te surpreender
A qualquer hora

Queen

Inesquecíveis!...


Não existe melhor adjetivo para qualificar os pupilos do mundo da música.Isso mesmo ,os incríveis garotos americanos da cidade de Liverpool que fizeram a cabeça de milhares de pessoas com suas músicas memoráveis acabaram de dar mais um passo em rumo ao inesquecível.Os quatro rapazes " dos cabelos estilosos " da década de 60,mesmo depois de quase cinquenta não deixam barato e não querem nem saber de serem esquecidos.Os "garotos de Liverpool", ou "Fab Four" – "Quarteto Fabuloso" –,como eram chamados, obtiveram fama, popularidade e notoriedade até hoje inéditas para uma banda musical, e se tornaram a banda de maior sucesso e de maior influência. Os Beatles influenciaram e ainda influenciam bandas do mundo todo. Pela inventiva criatividade e originalidade em suas canções, John Lennon e Paul McCartney criaram a mais famosa e celebrada dupla músical de todo o planeta! Os Beatles incluíram em sua carreira feitos que influenciaram todas as gerações seguintes! A música inovadora e o impacto cultural dos Beatles ajudaram a definir a década de 1960; sua influência cultural e pop ainda continua viva e intensa nos dias de hoje

4 de agosto de 2009

"As leis não bastam. Os lírios não nascem da lei. Meu nome é Tumulto e escreve-se na pedra."
Carlos Drummond de Andrade
Sorte de hoje: O sucesso geralmente vem para aqueles que estão muito ocupados para ficar procurando por ele!

3 de agosto de 2009

O Vencedor está só

O Retrato
No momento em que termino de escrever estas páginas, existem
vários ditadores no poder. Um país do Oriente Médio foi
invadido pela única superpotência mundial. Os terroristas estão
ganhando cada vez mais adeptos. Os fundamentalistas cristãos
são capazes de eleger presidentes. A busca espiritual é manipulada
por várias seitas que alegam deter o “conhecimento absoluto”.
Cidades inteiras são riscadas do mapa pela fúria da natureza.
O poder do mundo inteiro está concentrado nas mãos de
seis mil pessoas, segundo pesquisa de um reputado intelectual
americano.
Existem milhares de prisioneiros de consciência em todos os
continentes. A tortura volta a ser tolerada como um método de
interrogatório. Os países ricos fecham suas fronteiras. Os países
pobres assistem a um êxodo sem precedentes de seus habitantes
em busca do Eldorado. Os genocídios continuam em pelo
menos dois países africanos. O sistema econômico dá mostras
de exaustão, e grandes fortunas começam a ruir. O trabalho escravo
infantil tornou-se uma constante. Centenas de milhões de
pessoas vivem abaixo da linha da pobreza absoluta. A proliferação
nuclear é aceita como irreversível. Surgem novas doenças.
Antigas doenças ainda não foram controladas.
Mas é este o retrato do mundo em que vivo?
Claro que não. Quando resolvi fotografar minha época, escrevi
este livro.
PAULO COELHO

2 de agosto de 2009

Quem sou eu (perfil do orkut)

Sou aquela perfeição, que tem mil defeitos. aquela quieta, que adora conversar. aquela vingativa, que perdoa. aquela malandra, que cai feito patinha. aquela apaixonada, que ama com medo e ignora pra não sofrer mais. aquela indecisa, que vai embora quando quer ficar. aquela fácil de acreditar em promessas, que acredita nas suas palavras, mas não tem certeza. aquela confiante, que confia no hoje e desconfia do ontem. aquela só, que se sente sozinha quando há tantas pessoas ao seu lado. aquela esperta, que entende quando precisa ser entendida. aquela decidida, que de vez em quando volta atrás. aquela cantora de chuveiro, que canta músicas pra esquecer. aquela corajosa. aquela diferente, que não vê do jeito que todos veêm e percebeu que o comum não a atrai. aquela que sempre quer um novo começo.

' ' ''''''''

''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''' ' '
"Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me vê passar ..." Clarice Lispector


"Venho tentando lapidar meus dias, a fim de que eles se tornem mais concretos e iguais. Vivo a ditadura da realidade porque me disseram que é preciso. De tanto ouvir essa "verdade" acabei aceitando a premissa, mas aceito-a em parte.
Desde que eu resolvi parar de discutir com quem não entende, faço uma escolha criteriosa de almas. É quase um instinto de sobrevivência fingir, em certas situações, que eu não vejo o lado extraordinário das coisas que me acontecem.
Às vezes eu tenho problemas com essa dualidade. Eu não costumo estar. De uma forma muito simples e imediata, eu sou. É difícil disfarçar tudo que essa condição me traz. Mas aprendi que às vezes, sim, é preciso.
Sonho com um dia em que eu possa apenas ser. Sem dor. Sem culpa. Sem cobranças. Sem mal-entendidos.
'Sem desencontros. Sem desencanto.' Além do arco-íris, talvez seja verdadeiramente permitido.
Enquanto isso de vez em quando eu fico triste.
Eu já encontrei os tijolos amarelos, mas ainda preciso que a fada me dê os sapatos de rubi, para evitar alguns desvios.
É bom que algo incomode vez ou outra. Mas hoje eu só queria proteção para pisar forte e sem medo nesse chão que eu descobri. Não quero perguntas nem respostas. Só pretendo continuar... É preciso."
Clarice Lispector

.......................................................

Dance.Mesmo que não tenha aonde além de seu próprio quarto. Dedique-se a conhecer os seus pais. É impossível prever quando eles terão ido embora, de vez. Seja legal com seus irmãos.
Eles são a melhor ponte com o seu passado e possivelmente quem vai sempre mesmo te apoiar no futuro.
Entenda que amigos vão e vem, mas nunca abra mão de uns poucos e bons.
Esforce-se de verdade para diminuir as distâncias geográficas e de estilos de vida, porque quanto mais velho você ficar, mais você vai precisar das pessoas que conheceu quando jovem.

--------------------------------------------